Caminhos para o ensino: com educação informal, cursos e oficinas transformam relações de aprendizagem entre alunos e professores

CAMINHOS-PARA-O-ENSINO-webOs cursos e oficinas que integram as ações do Projeto “Cooperativa de Artistas: Produzindo Caminhos Sustentáveis para Vida” tem facilitado o acesso de jovens e crianças do bairro de Cidade Tiradentes à arte. Mas também tem transformado a vida dos artistas educadores que recebem os mais de 120 alunos das 6 oficinas que compõem o projeto.

Para Esmael Gaspar, 20 anos, a experiência foi um divisor de águas na carreira de artista circense e também na vida pessoal. Desinibido frente aos malabares e acrobacias, seu maior desafio aconteceu ainda em 2012, quando teve a missão de assumir o posto de professor em uma oficina de iniciação ao circo. “Embora tivesse base para esse momento, o primeiro dia foi de muita ansiedade. O jeito foi prestar atenção nas ações do Rafael Pantoja, oficineiro que também me acompanha durante o curso. Desde o início o ator Adriano Mauriz que é integrante do grupo Pombas Urbanas, também acompanhava as oficinas e sempre nos auxiliava na didática”, conta.

O modelo de ensino seguido nas oficinas está longe da educação convencional. O espaço de aula, além de conter os ensinos técnicos também é um círculo de afeto, coletividade e liberdade para expressar opiniões e dividir aprendizagem. E por meio da cooperação todos crescem.

“Ver os alunos em exercício aguçou a minha percepção enquanto artista. Atualmente, levo muito do que aprendo com eles para o palco”, diz Esmael, que faz questão de incentivar e fortalecer laços e o companheirismo com os jovens entre 12 e 14 anos que participam da oficina de circo, no Centro Cultural Arte em Construção.

“Não tenho só alunos, hoje posso dizer que fiz vários amigos. Fico feliz em ter construído uma relação de cumplicidade com a turma e com os pais, que acabam dividindo comigo suas expectativas sobre os filhos. Enquanto arte educador trabalho para formar estes jovens artisticamente, mas não apenas isso. Também quero contribuir para formá-los como cidadãos que refletem e decidem rumos sem serem guiados pelos padrões que estão postos pela sociedade. Neste projeto, a sala de aula também é lugar de diálogo e construção de caminhos para a vida de todos nós”, finaliza Esmael.