Quais os impactos do projeto “Cooperativa de Artistas” para a comunidade de Cidade Tiradentes?

quais-os-impactos-800

Após o primeiro ano do projeto “Cooperativa de Artistas”, resolvemos fazer uma pequena retrospectiva. Tanto coisa aconteceu, que se torna necessário olharmos nosso ponto de partida para situarmos os avanços desta caminhada.

No primeiro semestre de 2014, realizamos o “Curso de Gestão Cultural”, nele, mais de cinquenta jovens que promovem ações artísticas no bairro foram beneficiados.

Além dos conhecimentos técnicos desenvolvidos em cada módulo, o curso proporcionou a estes jovens artistas se conhecerem, trocar conhecimentos, realizar parcerias, melhorar suas práticas artísticas e de transformação social.

E para saber mais como isto se deu, conversamos com um dos participantes, o poeta e músico Claudio Gomes, mais conhecido como Call, que mora na região há 21 anos, e há 3 anos produz um sarau literário além de participar de projetos musicais:

Foi criada uma parceria muito forte entre esses coletivos até então desconhecidos, que se conectaram e até fizeram trabalhos juntos como no caso do Núcleo Teatral Filhos da Dita e o Sarau dos Loucos”. Neste ano, Call realizará uma série de saraus por praças, parques e espaços culturais de Cidade Tiradentes como o Centro Cultural Arte em Construção, com apoio do edital “Agente Comunitário de Cultura”, da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo.

Uma importante realização do projeto tem sido a ampliação dos cursos de formação artística que além do Centro Cultural Arte em Construção, passaram a acontecer em outros pontos do bairro como escolas e associações, facilitando a participação de crianças e jovens de diferentes regiões do bairro (segundo dados oficiais, Cidade Tiradentes conta com uma população total de cerca de 220 mil pessoas distribuídas em 15 km2 de extensão territorial).

A EMEF Mailson Delane abriu suas portas para o projeto recebendo o curso de Circo Infantil:

“Tem sido uma maravilha! Está envolvendo os alunos, os pais estão permitindo que as crianças participem, compreendendo a proposta. Está sendo um sucesso!”, diz empolgada, Zilda Lima, diretora da escola. Ela, assim como a equipe pedagógica da escola e os alunos querem que o curso continue em 2015. E a parceria terá continuidade!

Da mesma forma o curso de Teatro Jovem na região do Inácio Monteiro foi muito bem recebido:

“O curso tem ampliado as atividades que a gente tem no espaço e possibilita que trabalhadores, trabalhadoras, estudantes que normalmente não conseguem frequentar atividades culturais por conta de horários, tenham um curso de qualidade aos finais de semana”, diz Pedro Monteiro gestor cultural do CEU Inácio Monteiro em 2014.

Com o projeto, somente no último ano 243 crianças e jovens puderam experimentar as linguagens do circo e do teatro, vivenciando a arte nesta etapa fundamental de sua formação humana, fortalecendo-se para a vida.

Como dizia o educador Paulo Freire: “Trata-se de aprender a ler a realidade (conhecê-la) para em seguida poder reescrever essa realidade (transformá-la)”. Acreditamos nisto, e por isso seguimos, multiplicando nossos saberes, difundindo a arte, pois ela, em seu grande potencial de questionar e gerar reflexões, contribui na construção de uma profunda transformação social.